Minimalismo: o que é e como aplicar na decoração

0
Imagem de uma prateleira de livros brancas decorada como um abajur e um vaso de plantas, itens decorativos que combinam com o minimalismo.

O minimalismo está em alta. Nunca antes essa expressão foi tão usada. Ele é sinônimo de estilo de vida e, claro, de decoração. Se antes o termo era usado apenas para se referir a manifestações artísticas, hoje ele se tornou uma maneira das pessoas se reconhecerem e se expressarem.

Quer aderir à decoração minimalista, mas não sabe muito bem como conseguir ambientes bonitos e aconchegantes? Vem com a gente e veja as dicas que separamos!

O que é minimalismo?

O minimalismo, atualmente, é um estilo de vida que busca reduzir os excessos e viver apenas com o essencial. Essa tendência pode ser vista em inúmeros aspectos da vida, desde a decoração, até o vestuário e a forma de consumo.

No início, contudo, o termo era usado de outra maneira. O minimalismo surgiu no século XX abarcando uma grande variedade de movimentos culturais e artísticos que se baseavam em usar o mínimo possível de elementos.

Com o tempo, porém, a expressão passou a ser adotada em outras áreas da expressão humana – até se tornar um estilo de vida.

Ele se contrapõe ao maximalismo, aquela pessoa que adora guardar itens e lembranças – e prefere uma decoração cheia de detalhes que ajudam a retratar sua personalidade e a lembrar momentos importantes.

O que é decoração minimalista?

A decoração minimalista é aquela que segue a tendência do minimalismo, ou seja, usar o mínimo possível de elementos em um ambiente, focando na funcionalidade do espaço.

Isso não quer dizer que os ambientes sejam “sem graça” ou pouco aconchegantes. A ideia é tornar o espaço mais prático, sem tantos objetos, móveis e detalhes que podem acabar causando um excesso visual.

A arquitetura minimalista surgiu no mesmo período dos movimentos minimalistas na arte, influenciada principalmente pelas mudanças ocorridas no período pós Segunda Guerra Mundial.

A ideia era contrapor os estilos clássicos e vigentes até então, valorizando espaços projetados apenas com o essencial e que ressaltam a funcionalidade. Alguns arquitetos minimalistas mais famosos são: Gerrit Rietveld, criador da Casa Schroder, um dos primeiros exemplos do minimalismo na arquitetura e Mies Van Der Rohe, criador da frase “less is more” (menos é mais), que traduz a essência do minimalismo.

Como criar um ambiente minimalista?

Depois de entender melhor o conceito, já está sonhando com uma casa minimalista, bem prática, moderna e funcional? 

A boa notícia é que atingir esses objetivos não é tão difícil. Cores neutras, poucos objetos e móveis com linhas retas são a base dessa decoração e devem estar presentes em todos os ambientes minimalistas.

Veja todas as dicas de decoração minimalista que separamos!

Linhas retas e traçados geométricos

Um ambiente minimalista é, por excelência, um espaço simples. Por isso, deve haver o predomínio de linhas retas e traçados geométricos, que ajudam, também, a trazer um toque de modernidade.

As curvas e os elementos sinuosos, presentes em vários estilos decorativos, não são muito usados no minimalismo – somente caso se deseje criar um ponto de contraste.

Essa dica é muito valiosa na hora de escolher móveis e de compor o ambiente, preferindo sempre aqueles com linhas retas e modernas. Se quiser adicionar um ponto focal, você pode investir em um móvel ou detalhe com linhas curvas ou design mais arrojado.

Menos é mais

Impossível falarmos da decoração minimalista, sem citarmos a famosa frase que resume o estilo. Nesse caso, estamos falando de poucos (e bons) móveis, objetos decorativos e demais detalhes.

Use apenas o que é necessário para trazer funcionalidade ao ambiente. Na sala de estar, por exemplo, o sofá, o rack ou o painel de TV e alguns outros detalhes básicos, como o tapete ou uma luminária, são essenciais. Se não há espaço ou necessidade, é possível dispensar móveis adicionais, como mesa de centro, mesa auxiliar, poltronas etc.

Na cozinha minimalista, a ideia é a mesma. Além dos móveis básicos, reduza também os acessórios de cozinha, mantendo apenas o que é necessário para o dia a dia e aquilo que você realmente usa.

Cores neutras

A paleta de cores mais usada no minimalismo envolve tons neutros e claros. O branco é um clássico. Mas você pode ir além, usando alternativas como cinza claro, bege, off-white, azul claro etc.

Para adicionar um toque de contraste, outros tons neutros, porém mais escuros, podem aparecer, como o preto ou o azul marinho. Nos detalhes, você pode adicionar alguns detalhes em tons mais fortes, mas eles devem ser bem ponderados.

Outra possibilidade é usar os tons terrosos, que estão em alta, são aconchegantes por natureza e também são neutros, ajudando o relaxamento.

Materiais

A decoração minimalista é, por excelência, moderna. Por isso, alguns materiais são bem presentes, como: madeira, aço, vidro, mármore, cimento queimado ou outras pedras nobres.

Essa é uma forma de adicionar sofisticação e aconchego, sem pesar ou criar excessos nos ambientes. Uma cozinha totalmente branca, por exemplo, pode ter mais sofisticação com bancadas em mármore ou detalhes em madeira clara.

Texturas e plantas

Outra forma de garantir o aconchego no ambiente minimalista é investindo em detalhes com texturas e também nas plantas. Um tapete em tecido natural, uma peça de artesanato ou alguns vasinhos de plantas são ótimos para agregar personalidade, sem pesar visualmente.

O fundamental é evitar o excesso de ornamentos. Os vasos, por exemplo, podem ser de concreto, de metal ou de cerâmica – que são materiais naturais e conversam super bem com o estilo.

Iluminação

A iluminação é muito importante para um design minimalista. Uma dica importante é tentar favorecer a iluminação natural sempre que possível. Por exemplo, ambientes com janelas amplas e portas de vidro, que fazem com que o espaço pareça mais iluminado, amplo e arejado, além de favorecer a funcionalidade e a sustentabilidade, reduzindo o uso de energia elétrica.

Outro ponto importante, claro, é criar um bom projeto de iluminação artificial, sempre focando na funcionalidade. As cozinhas minimalistas, por exemplo, podem ter focos de luz em pontos como as bancadas e estações de trabalho. Assim como os banheiros podem ter spots de luz no espelho e na bancada, favorecendo o uso desses locais.

Acessórios

Os poucos acessórios devem seguir a mesma linha do restante do ambiente. Cortinas com formas sóbrias, luminárias com linhas retas, armários sem puxadores rebuscados, tapetes de tecidos naturais, detalhes em aço etc.

Como usar o minimalismo nos ambientes de casa?

Apesar das dicas acima, ainda está difícil montar sua decoração minimalista? Veja como usar esse estilo nos diferentes ambientes da sua casa.

Cozinha

A cozinha minimalista não tem exageros. As bancadas são livres, sem itens expostos e com tudo muito bem organizado. Os armários são neutros, sem detalhes, com superfícies lisas e pegadores sem exageros. 

A iluminação é favorecida, com trilhos centrais, spots direcionáveis e luzes de LED nos armários, além de pendentes nas bancadas.

Os revestimentos seguem o mesmo estilo, sem tanta textura e com cores neutras. Materiais como cimento queimado, madeira e mármore são muito usados.

Banheiro

O banheiro minimalista também preza pela funcionalidade. Por isso, a iluminação deve ser muito bem planejada. Spots e luzes de LED no espelho são fundamentais, bem como um espelho mais amplo, para tornar mais prático o dia a dia.

Cores claras são as mais usadas, assim como superfícies planas e sem objetos por cima. Não há presença de ornamentos, e pisos e azulejos não têm desenhos. É possível usar algumas texturas para favorecer o aconchego, como os revestimentos amadeirados em alguns pontos do ambiente.

Os metais (torneiras, chuveiros e porta toalhas) têm formatos simples e funcionais, seguindo o estilo.

Sala

As salas têm poucos (e bons) móveis, com peças com linhas retas e modernas. Em geral, os móveis são baixos, mantendo os espaços amplos. Itens em excesso como mesas centrais, auxiliares etc. são dispensados, porque não têm funcionalidade e podem atrapalhar a circulação.

Para criar um destaque, você pode usar um móvel diferenciado, como uma poltrona ou uma cadeira com forma sinuosa ou produzida com materiais artesanais.

O tapete pode aparecer, de preferência em tecido natural, e a iluminação natural deve ser reforçada.

Quartos

O quarto minimalista tem poucos elementos, porém, sempre prezando pelo conforto. Uma cama confortável e uma roupa de cama que favoreça o aconchego são importantes, de preferência em tecido natural, sem estampas e com tons neutros e claros. Se for usar estampa, ela deve ser discreta, de preferência geométrica.

A cabeceira pode ser o ponto de destaque. Em geral é de tecido, porque favorece o conforto, mas também pode aparecer em madeira e outros materiais modernos.

Para trazer um toque de personalidade, é possível usar quadros com molduras mais marcantes, com imagens abstratas ou de forma geométrica, além de frases.

Se os ambientes tiverem prateleiras e nichos, geralmente, os objetos expostos são grandes e com formatos sóbrios. Outra boa ideia é usar quadros apoiados em prateleiras. Mas não muitos.

Ambientes minimalistas dos #ClientesMadesa

Gostou da decoração minimalista e quer algumas inspirações de como usar essa tendência em casa? Então confira alguns ambientes dos nossos clientes:

Acompanhe a Madesa

Com todas essas dicas, ficou mais fácil usar o minimalismo aí na sua casa, não é? Aproveite e veja o nosso conteúdo completo sobre cozinha minimalista para transformar o coração do seu lar!

Não deixe de seguir a Madesa no Instagram, Facebook e Pinterest para não perder as dicas incríveis do nosso blog e as promoções exclusivas da nossa loja oficial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, compartilhe seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui